Resenha: Strobe Cream, da MAC

Resenha: Strobe Cream, da MAC

0

Quem me conhece sabe que sou aloka da iluminação. Por isso, desde que ouvi falar do Strobe Cream, da MAC (e experimentei na loja), tenho vontade de testar “na vida real” em casa! Sempre dei azar e encontrei o dito cujo esgotado, mas, num golpe de felicidade, recebi a versão pequenininha, de 30 ml, de presente de uma amiga.

Quem é o Strobe Cream

Veja a descrição do fabricante:

O máximo em solução instantânea para a pele. Produto superpoderoso com ingredientes botânicos potentes que refrescam e umidificam. Revigora a pele de aspecto opaco, descorado ou cansado com vitaminas nutritivas e uma megadose de chá verde. Ilumina e clarifica com partículas iridescentes e antioxidantes. Melhora os efeitos da luz em todas as peles em todas as condições de iluminação, da luz do sol à luz dos holofotes.

O Strobe Cream não é exatamente um iluminador: ele é um hidratante iluminador, ou seja, não contém partículas visíveis de brilho e traz um efeito muito mais sutil, que quase não se configura como maquiagem. Apesar disso, pra mim, ele não chega a ser um produto de skincare: sua fórmula tem concentrações muito pequenas dos tais “ativos poderosos” descritos aqui em cima e o segundo ingrediente principal é um silicone, o dimethicone, que de nutritivo não tem nada…

A ideia do produto é que ele seja utilizado quando você deseja dar um glow à pele, ou seja, pode tanto ser usado para substituir o iluminador, resultando numa versão mais natural, como em todo o rosto (e pescoço, e colo) para dar um brilho geral ao visu.

resenha-strobe-cream-2

Esfumado e concentrado

Minha opinião

No dia a dia, eu gosto de usá-lo no lugar dos meus iluminadores “mais maquiados”, principalmente se estou indo pra academia – sim, eu uso maquiagem na academia, mas prefiro as de efeito mais nu, menos marcadas. Na hora de sair pra algum lugar que exige uma produção a mais, curto usar um pouco do Strobe por baixo da base, para criar o “brilho que vem de dentro” (batizado assim pela maquiadora sênior da MAC, Fabi Gomes). Vira um tipo de primer, mas vale lembrar que não segura oleosidade nem ajuda a base a durar – rola apenas uma diferença de iridescência mesmo.

A versão de 50 ml do Strobe Cream sai por R$ 156, mas não achei no site o preço da de 30 ml, que eu tenho (UPDATE: Alan Estrela Rios, maquiador da loja do Salvador Shopping (Salvador/BA) sai por R$ 59!). Se vale a pena? Pra pessoas que adoram pele iluminada, acho que sim, já que o produto é multiuso e cria um look que vai além da “cara de maquiagem”: pode ser usado na pele nua, na pele maquiada, como um complemento para a base, como um reforço de outro iluminador, como um quê a mais na pálpebra… Enfim, os usos são muitos! Até arrisco dizer que, pra quem tem medo de highlighters, vale mais investir no Strobe do que em um mais potente.

E você, já testou?

espaco2

Comente no Face ♥

Artigos similares