0

O inverno brasileiro mal começou e já virou notícia de jornal: a estação trouxe frio e ranger de dentes (São Paulo que o diga), mas também a chance de tirarmos nossas roupas de frio do armário – e de comprarmos umas novas também, que a gente é filha de Deus! Fui convidada pela Farfetch, um dos maiores e-commerces de moda do Brasil e exterior, a participar do Desafio de Estilo Outono/Inverno 2016 e criar um look de inverno com um dos casacos disponíveis na loja. Depois de me apaixonar por vários modelos, decidi por uma opção quentinha, leve e moderna. Tudo a ver com o nosso país!

belícia-desafio-outono-inverno-farfetch

Para pensar este look, me inspirei nas Olimpíadas e no bom humor do brasileiro, que sempre encara a vida com leveza e um sorriso no rosto. O ponto de partida da produção foi o casaco, da Bintthani, marca-desejo de Dubai. Adorei o design, que protege sem esconder o corpo e, em meio ao preto, traz detalhes coloridos que dão uma alegria extra à peça. O movimento das mangas azuis e brancas me lembrou as ondas do mar!

desafio-de-estilo-outono-inverno-farfetch

Seria óbvio compor esse casaco com peças pretas, mas preferi optar por um complemento que remete ao navy: blusa listrada, da brasileira Richards; e a saia godê da Vi & Co, que me ganhou com os desfiadinhos incríveis. A junção do top com o bottom gerou um visual que lembra não somente Brigitte Bardot em búzios, mas também uma versão mais quentinha dos uniformes das tenistas – olha os jogos olímpicos aí, gente!

desafio-outono-inverno-farfetch-top-bottomPara finalizar, nada de cair no básico: juntei a bolsa divertida da Charlotte Olympia às joias lindas e nada comuns da Monies. Como no Brasil faz sol mesmo no frio, os óculos Karen Walker Eyewear, com lentes mais claras e shape moderno, são indispensáveis. Nos pés, conforto e estilo esportivo com o tênis Climacool Sonic Adidas by Stella McCartney - quem disse que sneakers não podem ser elegantes?

desafio-outono-inverno-farfetch-acessorios

O segredo para unir as peças foi optar por cores que conversam entre si: o look inteiro gira em torno de uma paleta de preto, azul, roxo, amarelo e laranja. Depois de definir os tons, fica fácil misturar estampas, texturas e desenhos sem que eles briguem entre si.

Curtiu o look? Eu gosto muito de e-commerces como a Farfetch, que unem várias marcas num espaço só. Deixa tudo mais fácil! Vai lá escolher suas peças: http://www.farfetch.com/br.

espaco2

0

O que as atrizes Juliana Paes, Luma Costa, Deborah Secco, Yasmin Brunet e Marina Ruy Barbosa têm em comum? Fácil: todas estão apaixonadas pela Dance Clip, método fitness criado pelo educador físico e personal dancer Justin Neto. Morador do RJ há 3 anos, Justin dá aulas no Rio e em São Paulo e vem conquistando as famosas ao propor coreografias sensuais, que trabalham a autoestima feminina e, de quebra, emagrecem cerca de 400 calorias por sessão. A melhor parte é que as aulas são acessíveis: são ministradas em espaços diversos, incluindo a academia Bodytech do Leblon.

Conversei com Justin e fiquei sabendo tudo sobre a Dance Clip. Venha descobrir seu novo método de dança favorito!

A Dance Clip virou um verdadeiro fenômeno! De onde veio a ideia de transformar a dança em parte da rotina de exercícios físicos das alunas?

A dança sempre esteve presente na minha vida e desde que entrei na faculdade de Educação Física, sabia que iria formatar algo que deixasse a vida dos meus alunos mais divertida e saudável. No ano passado, venci um concurso nacional que premiava pessoas com iniciativas inovadoras e o prêmio foi uma viagem para NYC. Foi quando formatei o Dance Clip, que é uma aula de dança inspirada no mundo dos videoclipes.

Paralela à tendência hiit, que promove exercícios de alto impacto em tempo curto – de, muitas vezes, menos de 15 minutos -, as suas aulas oferecem alta queima calórica num tempo médio de 50 minutos, onde a mulher se diverte, emagrece e eleva sua autoestima. Acredita que a busca por atividades com vantagens para corpo e a mente são uma tendência?

Sem dúvidas. As pessoas estão buscando atividades que as deixem mais felizes e motivadas. Vivemos dias difíceis em nosso país. Política, economia e parte afetiva andam debilitadas. A dança tem um poder diferenciado de deixar as coisas mais leves e gera uma sensação de felicidade. E quem não quer ser feliz, né?

justin-neto-2

Uma das turmas de Justin Neto

A Dance Clip é a queridinha de várias atrizes famosas, como Grazi Massafera e Marina Ruy Barbosa, e ajuda no seu desempenho emocional no trabalho. A atividade também pode trazer esses benefícios a mulheres “comuns”?

A aula de Dance Clip é para todos. Parto do principio que todos somos iguais e estamos expostos a sentimentos e situações parecidas. Todos nós queremos alegria na nossa vida. A dança nos acompanha desde que nascemos e tê-la na nossa rotina é super importante. Além de todos os benefícios para o corpo e a mente, ela ainda toca o nosso coração e mexe com a nossa emoção. Quem nunca se sentiu a Beyoncé ao bater cabelo? Ou quem nunca quis se imaginar dentro de um musical da Broadway e ser a Catherine Zeta-Jones? Enfim, o que não falta é inspiração.

Qual o maior desafio para as iniciantes que querem se entregar à dança?

Não só a dança, mas para qualquer atividade física: A PREGUIÇA! Essa é a grande vilã que tem uma aliada forte, que é a desculpa de falta de tempo. Mas, estou feliz com a repercussão que a dança vem tendo nos últimos tempos e acredito que cada vez mais ela ganhará mais adeptos. Vamos dar um pontapé no sedentarismo. XÔ PREGUIÇA!

O impacto da Dance Clip é mais aeróbico ou muscular? Quais exercícios você recomenda que sejam aliados à prática da dança?

A aula de Dance Clip é uma atividade aeróbica. Os movimentos trabalham todo o nosso corpo, promovendo melhoras na nossa capacidade cardiorrespiratória, coordenação motora, e claro, ajuda a nos sentirmos mais lindos e sensuais. A recomendação para outras atividades vai depender de pessoa para pessoa. Antes de iniciarmos a pratica de qualquer atividade física, inclusive a dança, é essencial consultar o médico. Assim, cada um irá saber suas particularidades e restrições. Munidos dessas informações, nós profissionais de Educação Física, prescrevemos as atividades indicadas para cada pessoa, conforme seus objetivos e seu histórico de saúde.

Curtiu? Se você mora no Rio ou São Paulo e quer praticar Dance Clip, basta entrar em contato com Justin através do e-mail: netojustin1@gmail.com.

espaco2

0

Comecei o projeto Manual da Transição Capilar há algum tempo, mas ele acabou ficando abandonado… Decidi voltar porque, além de ser um assunto importante, a transição é um dos temas principais nos e-mails que recebo de vocês! Da última vez, falei sobre os cuidados importantes no momento pré-BC. Agora, é hora de saber mais sobre a temida hora do grande corte.

Meu BC

Eu não aguentei ficar vários meses em transição. Depois de 6 meses aguardando a raiz crescer, fazendo texturização no comprimento, decidi que era hora de extirpar de vez os fios lisos. Uma das grandes vantagens de fazer o BC é que os tratamentos passam, finalmente, a agir no seu cabelo natural, sem o impedimento daquelas mechas alisadas. É um efeito completamente diferente do pré-corte!

Os seis meses serviram pra mudar a minha cabeça. De uma pessoa totalmente apegada a comprimento, eu passei a estar preocupada em ver meu cabelo real o mais rápido possível! Fazia questão de me sentir livre comigo mesma. Essa transformação mental é muito importante para guiar você no momento do corte, que costuma ser chocante para muitas meninas – não é fácil deixar uma vida inteira para trás! O cabelo liso representa os anos que passamos nos adequando a padrões, obedecendo normas, abafando nossa natureza. Mais do que uma tesourada, o BC é um marco na autoestima e na força interior da mulher.

Meu BC

Meu BC

Muitas garotas escolhem fazer o próprio BC. Eu não tinha essa confiança (nunca corto meu cabelo sozinha!) e, por isso, marquei com Ed Santana, do Descabelado, que acabou se tornando um grande parceiro do blog. Ed é especialista em cabelo afro e sabe direitinho o que fica bem em cada menina. Eu nunca tinha ido a um cabeleireiro assim e fiquei muito feliz de ter sido ele a pessoa a participar desse momento da minha vida!

Acabei cortando os fios beeem curtinhos, de um tamanho que eu jamais havia tido. Amei a experiência! Já saí de lá me sentindo bonita e, nos dias seguintes, adorava acordar e quase não precisar arrumar os cachos, sentir a água bem perto do couro cabeludo… Curti cada etapa do meu crescimento capilar e curto até hoje.

transição-capilar-3

transição-capilar-2

Dicas para um BC sem arrependimentos

Geralmente, demora um tempo para a gente se sentir à vontade com a ideia de fazer o BC. Para evitar arrependimentos e ir segura para a cadeira do cabeleireiro, siga algumas dicas importantes:

Aceite o seu próprio tempo

Eu demorei seis meses, mas pode ser que você só queira retirar as pontas lisas do cabelo após um ano, um ano e meio, dois… Não se cobre e obedeça à sua voz interior. Você vai ficar feliz se cortar agora? Está pronta para encarar um comprimento muito curto?

Escolha a técnica

Vai cortar sozinha? Pesquise na internet dicas de meninas que já fizeram isso e amadureça bem a forma como fará o BC, antes de tesourar de vez os cabelos. Se você prefere ir ao cabeleireiro, escolha um profissional com referência, que já tenha cortado o cabelo de alguém que você conhece ou de uma pessoa que inspira você. Se possível, antes de visitar o salão, troque ideias com o hairstylist sobre a sua trajetória capilar, ideias de corte, visagismo… Tire todas as dúvidas antes para evitar problemas no futuro.

Curta cada fase

Não adianta cortar o cabelo e ficar se martirizando porque ele vai demorar de chegar à cintura novamente. Aproveite essa aventura para conhecer um novo comprimento e se descobrir bonita de um jeito diferente! Pesquise produtos que combinam com o seu corte, as formas de estilizá-lo, e não esqueça de continuar a sua rotina de umectações e hidratações/cronograma capilar. Seus cachos representam a sua força de vontade, então nada de deixá-los presos e esquecidos!

Ufa! Esse é um assunto que rende, né? No próximo post, vamos falar sobre o período pós-BC e esclarecer alguns mitos sobre tempo de crescimento, eficácia de alguns tratamentos… Podem deixar que o Manual da Transição vai até o fim dessa vez!

Cabelo tipo 4 <3

Cabelo tipo 4 <3

Quer tirar dúvidas ou conversar sobre sua transição? Fale comigo através do e-mail belicia@clvbe.com.br!

espaco2

0

Sabe quando a marca te manda um conteúdo tão bom que você se sente na obrigação de divulgar? A Natura me enviou um material sobre o projeto Cocriando Viva sua Beleza Viva, que convida pessoas de todo o país a opinar, dividir experiências e colaborar no entendimento sobre o universo da beleza. A ideia é descobrir o que é beleza para os consumidores e como eles vivem esse conceito - um conhecimento que pode melhorar ainda mais a atuação e os produtos da Natura. Sua chance de exercer um papel ativo na indústria cosmética.

Por meio da interação via plataforma on-line e de alguns encontros presenciais, os participantes serão estimulados a compartilhar a sua visão e vivência de beleza,  onde elas se revelam e de que forma se expressam. Por meio da rede de cocriação, a Natura busca entender melhor quais os reais anseios do consumidor e, a partir daí, criar conceitos que façam cada vez mais sentido para ele. “É um processo que fomenta novas conexões, com troca e aprendizagem mútua entre as pessoas e a marca, o que é muito rico para a inovação” afirma Luciana Hashiba, gerente de inovação da Natura.

cocriando-natura-2

Um dos produtos dessa contribuição é o lançamento recente da linha Mamãe e Bebê – Momento Sono. O desenvolvimento de uma coleção com foco especial na relação entre mãe e filho durante os momentos que antecedem o sono da criança teve contribuição dos consumidores da rede, com insights surgidos em grupos durante uma jornada do Cocriando Natura Mamãe e Bebê realizada em 2013.

As inscrições para participar do Cocriando Viva sua Beleza Viva vão até 30/07 e acontecem através do site do projeto. Vale a pena fazer a sua parte e ajudar a Natura a ser feita para você!

espaco2

0

Essa é para quem quer marombar os… cabelos! Recebi da assessoria da Yenzah um sachê de 30g do Whey Fit Cream, máscara de potência capilar que promete uma recarga máxima de proteína nos fios. Poderoso, né?

Para aproveitar ainda mais a proposta do produto, fiz a aplicação nos cabelos pós-treino – sujos, ressecados por causa do suor – pra ver se a tal recarga era tudo isso mesmo. Minha primeira impressão positiva foi em relação à textura do creme, bem densa e fácil de espalhar, e à quantidade: cada sachê rende, no mínimo, duas aplicações.

yenzah-whey-fit-cream-3

yenzah-whey-fit-cream-2

Usei metade do sachê do Whey Fit Cream e obedeci ao rótulo, deixando o produto agir por somente 5 minutos. Logo depois, enxaguei e finalizei como de costume (usando Creoula, da Lola, e óleo de coco da Copra).

Após o banho, senti que o produto realmente havia mudado os cachos. Eles não estavam moles e desmanchando, mas sim “resistentes”, como se realmente tivessem ficado mais fortes, sabe? Tive até medo de rolar um ressecamento, mas depois de finalizar percebi que não havia fundamento – o que rolou foi um cabelo brilhante, leve e hidratado na medida.

yenzah-whey-fit-cream-4

A máscara Whey Fit Cream também pode ser encontrada na versão em pote, mas achei o sachê ótimo para quem quer testar antes de investir, ou mesmo vai levar o produto numa mala de viagem. Ele custa aproximadamente R$ 6,20 e rende mais de uma aplicação. Achei que o custo-benefício vale a pena!

espaco2